• O Acervo Documental do MARGS

  • Voltar

Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS) √© uma institui√ß√£o museol√≥gica p√ļblica, vinculada √† Secretaria de Estado da Cultura do RS (Sedac), voltada √† hist√≥ria da arte e √† mem√≥ria art√≠stica, assim como √†s manifesta√ß√Ķes, linguagens, investiga√ß√Ķes, pesquisas e produ√ß√Ķes contempor√Ęneas em artes visuais.

Criado em 1954, o MARGS é o principal museu de arte do Estado do Rio Grande do Sul e um dos mais importantes do país. Conheça o Museu e sua história clicando aqui.

O Acervo Art√≠stico do Museu re√ļne mais de 5.500 obras de arte, desde a primeira metade do s√©culo XIX at√© os dias atuais. Clique aqui¬†para consultar o cat√°logo online de obras do MARGS.

Já o Acervo Documental guarda e alimenta uma expressiva coleção de documentos sobre a história institucional, o meio das artes visuais e a atuação de artistas e agentes do sistema artístico.

Assim, além de documentos históricos e administrativos desde a fundação do MARGS, em 1954, o Acervo Documental se destaca também pelo expressivo conjunto de documentos relacionados à produção sul-rio-grandense de artes visuais, com especial atenção à biografia e à obra de artistas e demais profissionais com destacada trajetória e reconhecimento no circuito artístico. Os assuntos estão organizados segundo uma hemeroteca.

Quanto a cole√ß√£o bibliogr√°fica, √© formada por volumes, cat√°logos de exposi√ß√Ķes, peri√≥dicos, √°lbuns e figuras. H√° tamb√©m uma cole√ß√£o de v√≠deos e arquivos fotogr√°ficos.

Iniciado em dezembro de 2021, o Projeto de Digitaliza√ß√£o do Acervo Documental do MARGS tem financiamento do Fundo de Embaixadores para Preserva√ß√£o Cultural (Ambassadors‚Äô Fund for Cultural Preservation ‚Äď AFCP), por meio do Consulado Geral dos EUA em Porto Alegre e da Associa√ß√£o de Amigos do MARGS ‚ÄĒ AAMARGS.

O Fundo proporcionou aquisição de computadores e scanners de precisão para garantir qualidade na digitalização dos documentos, além da contratação de serviços de profissionais de diferentes áreas para a prestação de trabalhos especializados junto à equipe do Museu, resultando na formação de uma equipe multidisciplinar em história da arte, artes visuais, museologia e biblioteconomia.

O Acervo Documental do MARGS foi convertido para formato digital a fim de torn√°-lo dispon√≠vel em meio online nesta plataforma Tainacan, um software livre brasileiro para cria√ß√£o de reposit√≥rios de acervos digitais em WordPress.

O material est√° organizado em cole√ß√Ķes e conta com hiperlinks, palavras-chaves e filtros de rela√ß√£o entre as atividades e documentos, al√©m de layout concebido para facilitar a experi√™ncia de pesquisa.

Com o projeto de digitaliza√ß√£o, o objetivo √© oportunizar acesso p√ļblico e irrestrito a um acervo de arquivos que faz do MARGS um centro de refer√™ncia documental para a pesquisa, o estudo e a preserva√ß√£o da mem√≥ria visual e art√≠stica sul-rio-grandense e brasileira (nas √°reas de artes visuais, hist√≥ria da arte, patrim√īnio e museus/institui√ß√Ķes, entre outras).

Al√©m de proporcionar maior alcance na disponibiliza√ß√£o do Acervo Documental do MARGS √† sociedade, a iniciativa oferece tamb√©m maior facilidade de consulta √†s informa√ß√Ķes hist√≥ricas documentadas pelo Museu para todos os interessados, como estudantes e pesquisadores, e mesmo para o p√ļblico em geral. Ao mesmo tempo, assegura a preserva√ß√£o e a seguran√ßa desta importante cole√ß√£o documental p√ļblica, cuja totalidade se encontrava at√© 2021 apenas em formato f√≠sico.

BREVE HIST√ďRICO DO ACERVO DOCUMENTAL

Nos anos 1970, os trabalhos e as atividades do MARGS passaram por uma maior organiza√ß√£o nas diversas √°reas, conforme suas compet√™ncias e atribui√ß√Ķes. Assim, foram institu√≠dos diferentes N√ļcleos, cada qual dando conta de setores espec√≠ficos, como prossegue ainda hoje, com algumas altera√ß√Ķes que resultaram de reformula√ß√Ķes e reformas administrativas das gest√Ķes at√© aqui.

Em 1976, o MARGS começou a documentar sistematicamente suas atividades e refletir sobre o campo artístico através de boletins informativos, que ao longo dos anos transformaram-se em verdadeiras revistas de arte, com artigos e entrevistas.

Entre 1981 e 1986, o Acervo Documental ganhou f√īlego com a doa√ß√£o de 796 pastas do colecionador e artista Cl√°udio Morrain, contendo 15 mil recortes de jornal e 3 mil cat√°logos de exposi√ß√Ķes. Este acervo daria in√≠cio aos chamados dossi√™s de artistas pl√°sticos, existentes at√© hoje.

Também incorporou importantes acervos documentais particulares, como do artista Iberê Camargo e do crítico Aldo Obino.

ALGUNS N√öMEROS DO ACERVO DOCUMENTAL (aproximados)

História e memória institucional do MARGS:

> 114 pastas A-Z: em torno de 57.000 páginas abrangendo o período de 1954 a 2021

> Em torno de 1.000 exemplares de Publica√ß√Ķes do MARGS

Acervo documental de artistas:

> Mais de 4.000 pastas sobre a trajetórias dos artistas

> Documentação de mais de 1.800 artistas

Hemeroteca de assuntos de artes visuais e patrim√īnio:

> Em torno de 65.000 p√°ginas e recortes de jornais

Acervo bibliogr√°fico:

>  Mais de 5.000 livros sobre artes visuais

> Coleção de mais de 6.500 catálogos

O N√öCLEO DE ACERVOS E PESQUISA DO MARGS

O N√ļcleo de Acervos e Pesquisa do MARGS √© respons√°vel pela guarda, documenta√ß√£o, cataloga√ß√£o, organiza√ß√£o e gest√£o dos Acervos Art√≠stico e Documental do MARGS, fornecendo subs√≠dios para a pesquisa, o estudo, a conserva√ß√£o, o restauro e a exibi√ß√£o de obras, documentos e demais itens pertencentes ao Museu. Ao zelar pela manuten√ß√£o dos acervos mantidos sob guarda do MARGS, atua no sentido de garantir a sua preserva√ß√£o e conserva√ß√£o.

√Č tamb√©m atribui√ß√£o do N√ļcleo de Acervos e Pesquisa supervisionar o acesso ao acervo e aos arquivos sob sua guarda, bem como coordenar os tr√Ęmites envolvendo doa√ß√Ķes e aquisi√ß√Ķes de obras para o museu, assim como empr√©stimos para outras institui√ß√Ķes.

E, juntamente ao trabalho interno de documentação e de pesquisas que subsidiam os projetos curatoriais, educativos e editoriais do Museu, presta atendimento a pesquisadores externos mediante solicitação e agendamento prévio.

Atendimento a pesquisadoras(es)

Juntamente ao trabalho interno de coordena√ß√£o, gest√£o, documenta√ß√£o e pesquisa dos Acervos Art√≠stico e Documental, o N√ļcleo de Acervos e Pesquisa presta atendimento a pesquisadores externos mediante solicita√ß√£o.

Como agendar um atendimento?

O atendimento ao p√ļblico √© realizado de ter√ßa a sexta-feira, das 10h √†s 12h e das 13h30  √†s 17h30, mediante agendamento pr√©vio por e-mail.